News details

Read the full story here
jornal

Rumo à Campanha Salarial do Setor Químico!

Encontro de trabalhadores será dia 26/08 no Cefol Campinas. Participe!

A data base da categoria química se aproxima e o Unificados começa a preparar as mobilizações para a definição da pauta de reivindicações que a Fetquim (Federação dos Trabalhadores do Ramo Químico do Estado de São Paulo) irá apresentar à bancada patronal.

Você já pode marcar na agenda: dia 26/08 (domingo) a partir das 9h30 teremos nosso encontro no Cefol Campinas, reunindo o maior número de trabalhadores químicos de diversas fábricas de Campinas, Osasco e regiões.

Converse com seus companheiros/as de trabalho sobre a importância de participar deste momento decisivo da luta em defesa de direitos, qualidade de emprego e reajuste de salários e benefícios. Procure o sindicato para preencher sua ficha de inscrição do encontro.

Mobilização
A partir de agora até 1º de novembro é necessária unidade e ampla participação dos/as companheiros/as nas assembleias e mobilizações convocadas pelo sindicato para que as negociações entre a Fetquim e os patrões resultem em reajustes compatíveis, manutenção de direitos conquistados nas campanhas anteriores e também avanços.

Luta maior
Nos últimos anos, a bancada patronal tem usado a crise econômica do país para negar a reivindicação de aumento aos trabalhadores químicos. Após o golpe – que teve apoio da elite financeira e empresarial – a situação vem piorando em função das medidas adotadas pelo governo Temer. A Abiquim (associação que engloba as grandes empresas do setor químico) esteve reunida com uma frente de parlamentares em junho para apresentar uma série de reivindicações para melhorar a situação do setor. Um dos principais problemas é a política adotada pela Petrobras de reduzir o refino do nafta – uma das matérias primas utilizada na indústria química.

Segundo afirmação do diretor da Braskem ao jornal Correio Brasiliense, o Brasil já produziu 70% da nafta utilizada, hoje produz apenas 20% e, em cinco anos, essa produção poderá ser zerada, tornando o Brasil dependente totalmente da importação. Ou seja, a defesa da Petrobras como empresa estratégica é fundamental não apenas para que nossos combustíveis e gás tenham preços justos ao povo brasileiro, mas também para garantir condições à indústria química e, consequentemente, manter empregos e direitos nas fábricas.

Cenário
É importante destacar que o setor químico conta com empresas que cresceram muito nos últimos anos, como é o caso daquelas que atuam no segmento do agronegócio.

A Syngenta, por exemplo, anunciou lucro líquido de 1.229 milhões de dólares no primeiro semestre de 2018. O resultado é 32% maior que o registrado no mesmo período de 2017. A BASF também teve aumento nas vendas de 518 milhões de euros, chegando a 16,8 bilhões, no segundo trimestre de 2018. A multinacional obteve aumento no lucro operacional de 105 milhões de euros, de um ano para o outro, atingindo 2,4 bilhões de euros.

26/08 • 9h30:
Dia de organizar a luta da campanha salarial do Setor Químico!
Cefol Campinas

Rodovia Dom Pedro I, KM 118 – sentido Jacareí.

POST COMMENT

TESTE

Desenvolvido por Lógica Digital

© 2016 Químicos Unificados