News details

Read the full story here

Crime Shell: Unificados propôs 90% do valor da causa, hoje em Brasília

 

Conforme determinado pelo ministro João Oreste Dalazen na audiência do Tribunal Superior do Trabalho (TST) no dia 14 último, hoje (19fev2013) ocorreu uma reunião (foto acima) entre representantes da Shell/Basf, do Unificados e de ex-trabalhadores das duas multinacionais com o objetivo de tentar uma aproximação entre as duas propostas sobre o processo de contaminação ambiental e humana cometido pelas duas empresas no bairro Recanto dos Pássaros, em Paulínia/SP. Presidiu esta reunião o procurador geral da Procuradoria do Trabalho de Brasília, local onde ela foi realizada, na capital da República.

Unificados e ex-trabalhadores
reafirmam pedido mínimo na ação

Na reunião, os dirigentes do Unificados e da Associação dos Trabalhadores Expostos a Substâncias Químicas (Atesq – entidade formada pelos ex-trabalhadores Shell/Basf), mais seus advogados e assessor médico do trabalho, argumentaram que é subestimado o número de 864 trabalhadores a receberem cuidados médicos e plano de saúde conforme o proposto pela Shell. Que as duas entidades já possuem 1.143 cadastrados e devidamente comprovados. Pedem para que a Shell/Basf façam publicação, em jornais de grande circulação nacional, de editais chamando seus ex-trabalhadores devidamente documentados. Essa documentação poderia inclusive ser comprovada pelos registros em organismos oficiais, como por exemplo FGTS, INSS, PIS etc.

Valores em patamares aceitáveis

Na condenação que a Shell/Basf sofreram na 2ª Vara do Trabalho em Paulínia (em 1ª instância) e que foi confirmada pelo Tribunal Regional do Trabalho em Campinas (2ª instância), o montante nos valores chega a quase R$ 1,4 bilhão.

Hoje, na Procuradoria Geral do Trabalho em Brasília, a proposta do Unificados e dos ex-trabalhadores atinge a R$ 1,2 bilhão, 90% do valor da condenação inicial. Como referência, na audiência no TST no dia 14 último, a Shell/Basf fizeram a proposta de pagar R$ 150,00, pouco mais do que 10% do valor a que já foi condenada em Paulínia e em Campinas.

O Ministério Público, que defende a sociedade em razão dos danos coletivos provocados pela contaminação, também propôs reduzir o valor inicial para 90%.

Próximo passo

O próximo passa desta ação, será mais uma audiência de tentativa de conciliação a ser realizada no Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília, no dia 28 de fevereiro, conforme convocação do ministro João Oreste Dalazen, que também já agendou outra, a última, para 04 de março caso necessária por falta de acordo.

Ata da reunião de hoje

 

[download id=”60″] para ler na íntegra a ata da reunião de hoje (19fev2013) na Procuradoria Geral do Ministério Público do Trabalho, em Brasília.

 

VEJA VÍDEO

ACESSE AQUI para assistir vídeo da manifestação do Unificados/Atesq e a audiência no Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília, dia 14 de fevereiro de 2013.

TESTE

Desenvolvido por Lógica Digital

© 2016 Químicos Unificados