News details

Read the full story here
img201703221832216674104MED

Câmara aprova terceirização total

Por meio de uma manobra suja, deputados da base de apoio ao governo interino de Michel Temer conseguiram retomar a tramitação e aprovar um projeto de lei de 1998 (PL 4302/1998), proposto por Fernando Henrique Cardoso (PSDB) para liberar totalmente a terceirização em todos os setores e atividades. A votação foi realizada ontem (22/03) registrando 231 votos a favor, 188 contra e oito abstenções.

Com isso, acabará o vínculo direto entre trabalhadores e empresas. Quando você for a um hospital, banco, escola, todos os trabalhadores ali, sejam eles médicos, enfermeiros, professores, caixas, todos estes profissionais poderão ser empregados de uma outra empresa, que paga salários bem menores, exigem jornadas maiores e oferecem condições precárias de trabalho – situação já vivida pelos trabalhadores das áreas de segurança e limpeza que foram alvo da terceirização por não serem consideradas atividades finais.

Nas fábricas, setores inteiros poderão ser terceirizados. Os índices de acidentes e adoecimento de terceirizados são muito maiores. Um estudo do DIEESE – Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socieconômicos atesta que 80% dos acidentes de trabalho no Brasil ocorrem com terceirizados.

Outra consequência desastrosa será a retirada de direitos conquistados devido a mudança de representação sindical. Por exemplo, se hoje a convenção coletiva de trabalho dos químicos e farmacêuticos – uma das melhores do País – garante hora-extra remunerada a 70% em dias comuns e 110% aos finais de semana, o que ocorrerá quando as empresas decidirem terceirizar setores inteiros como o de embalagens, por exemplo? Estes trabalhadores serão representados por sindicatos de terceirizados, com convenções fracas e com menos direitos?

A terceirização será permitida até mesmo no setor público. É um ataque brutal aos direitos trabalhistas, à qualidade do emprego e serviços. Entre os partidos que votaram pela aprovação da terceirização sem limites e contra os interesses da classe trabalhadora estavam PP, PTN, PHS, PSD, PSB, PTB, PROS, PSL, PRB, PSC, PV, PEN, PSDB, PMDB, DEM, PP, PR e PRB.

Os partidos contrários à terceirização foram PSOL, PT, PCdoB, PDT, Rede e PMB. Solidariedade e PPS liberaram suas bancadas. O texto agora segue para sanção presidencial.

Na manhã desta quinta-feira o Unificados esteve na porta da Syngenta Proteção de Cultivos Ltda, em Paulínia, dialogando com os trabalhadores sobre a dimensão deste ataque e dos próximos que precisam ser barrados: a Reforma da Previdência e Reforma Trabalhista, ambos em tramitação no Congresso Nacional e propostos pelo interino Michel Temer. Este governo aplica uma receita de recessão, empobrecimento e transformação de trabalhadores em mão de obra descartável e barata, tal qual interessa aos empresários financiadores das campanhas eleitorais.

WhatsApp Image 2017-03-23 at 7.20.57 AM  WhatsApp Image 2017-03-23 at 7.20.55 AM

Assembleia realizada na manhã desta quinta-feira 23/03  com todos/as trabalhadores/as da Syngenta, diretos e terceirizados

 

Saiba quem são os deputados que foram eleitos em nossa base e que traíram os interesses da classe trabalhadora. Ajude a fazer com que a população saiba quem são os responsáveis pelo fim do emprego direto e pelo aumento da exploração dos trabalhadores em nosso país:

Região de Campinas:

Luiz Lauro Filho (PSB)

Roberto Alves (PRB)

Vanderlei Macris (PSDB)

Carlos Sampaio (PSDB) – ausente

Região de Osasco:

Bruna Furlan (PSDB)

 

Confira a lista completa aqui

POST COMMENT

TESTE

Desenvolvido por Lógica Digital

© 2016 Químicos Unificados