News details

Read the full story here
navio 2

Navio Hospital construído com verbas do Caso-Shell está pronto

Projeto coordenado pela Associação e Fraternidade São Francisco de Assis atenderá 700 mil pessoas de comunidades ribeirinhas da região do Baixo Amazonas no Pará

Recursos da indenização por danos morais coletivos referentes ao Caso Shell/Basf beneficiarão, a partir de agosto deste ano, 700 mil pessoas que vivem nas comunidades ribeirinhas de 12 municípios da região do baixo Amazonas, no Pará. A Associação e Fraternidade São Francisco de Assis fará a inauguração do Navio Hospital Papa Francisco no dia 17/08 às 16h, em Belém (PA).

O Navio Hospital foi construído pela Indústria Naval do Ceará (INACE) com R$ 24,5 milhões da verba de R$ 200 milhões em danos morais coletivos do Caso Shell/Basf. Pelo acordo firmado no Tribunal Superior do Trabalho em 8 de abril de 2013, estes recursos seriam revertidos a projetos voltados à saúde dos/as trabalhadores/as brasileiros/as, a serem selecionados pelo Ministério Público do Trabalho, a partir de um edital.

O Navio Hospital Papa Francisco tem 32 metros de extensão e comporta consultórios médicos, odontológicos, centro cirúrgico, sala oftalmológica completa, laboratório de análises, sala de medicação, sala de vacinação e leitos de enfermaria, equipamentos para exames, como raio-X, ultrassom, eco, mamógrafo, esteira ergométrica e eletro. Além da atenção básica de saúde à população, as equipes atuarão na prevenção e diagnóstico precoce do câncer, com a realização de exames e triagem. Também serão realizadas em parceria com as universidades que enviarão equipes de médicos e residentes.

Homenagem ao Papa Francisco

A Navio Hospital leva o nome de Papa Francisco porque a atuação da Fraternidade na região amazônica iniciou-se em 2013, após um pedido particular do Papa Francisco à Frei Francisco.
“É uma realidade muito especial. Grande parte do ano, as ruas ficam submersas. Existem muitas pessoas, muitas comunidades ribeirinhas que não conseguem chegar aos hospitais. Então pensei que o único meio era o hospital ir até elas”, conta Frei Francisco.

O Barco percorrerá as águas do rio amazonas e será o caminho para levar saúde e assistência a população ribeirinha, os hospitais de Óbidos e Juruti, serão referência para os casos de mais complexidade diagnosticados no percurso. Ao se aproximar das comunidades, uma “ambulancha” irá a frente para iniciar as triagens e otimizar os atendimentos.
Para o Unificados, o funcionamento do Navio Hospital Papa Francisco garantirá às comunidades ribeirinhas o acesso à saúde, com dignidade e estrutura. É a reverberação de nossa luta em defesa da vida, cuidando de outras vidas na região Norte do Brasil, fruto de uma longa batalha judicial travada pelo Sindicato Químicos Unificados e Associação dos Trabalhadores Expostos a Substâncias Químicas (Atesq), Centro de Referência e Saúde do Trabalhador (Cerest Campinas).

Outros projetos
Além do Navio Hospital, a Fraternidade São Francisco de Assis recebeu R$ 696 mil para a construção de uma “ambulancha”, para atendimento das populações ribeirinhas da Amazônia. Este recurso, junto com os R$ 8.823.921,04 pagos à Fundação da Área de Saúde de Campinas (Fascamp), voltados à construção do Instituto de Otorrinolaringologia de Cabeça e Pescoço (IOCP), foram as últimas verbas do fundo gerenciado pelo MPT referente aos danos morais coletivos do Caso Shell/Basf.

Além destes projetos, foram liberados recursos para o Hospital de Câncer de Barretos (HCB), para unidade de prevenção em Campinas, chamada de Hospital do Amor, para Centro de Pesquisa Boldrini, em Campinas, para o Hospital de Sumaré, gerido pela Unicamp, e para a Fundação Ilumina de Piracicaba, que está construindo um hospital de prevenção e diagnóstico precoce de câncer na cidade e já conta com uma carreta equipada com aparelhos para realização de exames preventivos em diversas cidades da região.

POST COMMENT

TESTE

Desenvolvido por Lógica Digital

© 2016 Químicos Unificados