News details

Read the full story here

Greve conquista aumento real na EMS


Após uma greve que paralisou totalmente por 10 horas a produção e a administração na EMS em Hortolândia no dia de hoje (29/11/2004), os aproximadamente 1.700 trabalhadores conquistaram um reajuste salarial de 8% a partir de 1º de novembro último, mais 1% a partir do próximo mês de março. Esses índices significam a reposição da inflação de 5,72% registrada nos últimos 12 meses (novembro de 2003 a outubro de 2004) mais um aumento real de 3,3% nos salários. Essa proposta, construída em negociação realizada no período da tarde entre representantes dos funcionários, do sindicato e da empresa, foi levada aos trabalhadores que, em assembléia realizada às 16h30m decidiram por a aceitar e por fim ao movimento que teve início às 6 horas (também de hoje).

Inicialmente, a EMS afirmara que o reajuste salarial para seus trabalhadores seria da ordem de 5,72% (somente a reposição da inflação), descumprindo acordo assinado entre os sindicatos e a Fiesp – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo no dia 25 último que estabeleceu esse índice em 8%. Esse acordo refere-se à data base da categoria, que é 1º de novembro.

Quanto aos 13 trabalhadores demitidos pela empresa no início do movimento e cujas recontratações eram parte integrante da pauta de reivindicações, a EMS concordou com as readmissões mas eles não aceitaram. Foi então firmado acordo no qual esses 13 trabalhadores irão receber uma cesta básica e garantia de plano de saúde pelo período de um ano, mais o valor correspondente a um salário atual por ano trabalhado além das garantias das verbas rescisórias previstas em lei e no acordo coletivo da categoria.

TESTE

Desenvolvido por Lógica Digital

© 2016 Químicos Unificados

Químicos Unificados

Veja todos

Fale conosco