News details

Read the full story here

Rhodia negocia e greve se encerra no 5º dia

A mobilização na Rhodia Brasil, em Paulínia, que teve início com uma paralisação de 24h de advertência devido ao desrespeito da empresa ao se recusar a receber uma pauta de reivindicações, e se desdobrou em uma greve geral iniciada em 05 de novembro, teve seu final hoje (10/11/08), cinco dias depois de decretada em assembléia, quando os trabalhadores aprovaram, também em assembléia, um acordo pelo qual a multinacional francesa negociou oito das dez reivindicações apresentadas pelos trabalhadores.

Trabalhadores votam e aprovam aceitar acordo e colocar fim à greve (10/11/08 - Fotos: João Zinclar)

Trabalhadores votam e aprovam aceitar acordo e colocar fim à greve
(10/11/08 – Fotos: João Zinclar)

Assim, com a greve, a Rhodia se vê obrigada pelos trabalhadores a abandonar a intransigência e a radicalidade com que se portava, e a abrir negociações e atender pontos reivindicados.

O acordo

Do acordo firmado entre a Rhodia e os trabalhadores, constam:

a) A Rhodia se compromete a corrigir irregularidades no sentido de salários iguais para funções iguais, independente de cursos, conforme a obriga convenção coletiva da categoria;

b) A empresa amplia de quatro para sete guias de consulta do convênio médico, para o trabalhador e seus dependentes;

c) O Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP), que está desatualizado na Rhodia, será analisado e revisto caso a caso, trabalhador por trabalhador;

d) A multinacional apresentará ao sindicato e aos trabalhadores, em prazo máximo de 30 dias, um estudo para redução no tempo de trajeto casaXtrabalhoXcasa no transporte fretado;

e) A Rhodia estudará viabilidade de quitar em 50% a anuidade do Conselho Regional de Química (CRQ) a partir de 2009;

f) A empresa se compromete a fazer estudo para reposição de postos de trabalho por ela fechados, o que tem obrigado a horas extras excessivas e a “dobras” de jornadas;

g) A Rhodia se compromete a estar atenta junto a terceirizadas que, conforme denúncias, burlam horas extras dos trabalhadores;

h) A multinacional aceita como definitivamente proibida a realização de banco de horas, inclusive por empreitas por ela contratadas. Horas extras devem ser pagas em dinheiro e com os adicionais definidos em acordo coletivo da categoria;

i) A empresa obrigará as terceirizadas a colocarem fim no uso excessivo do recurso da hora extra e do trabalho em folgas, por meio da contratação de trabalhadores;

Todos os trabalhadores da planta Rhodia, inclusive os terceirizados, terão abonadas todas as horas não-trabalhadas durante os cinco dias da greve.

As reivindicações não atendidas pela Rhodia dizem respeito às reivindicações econômicas que, assim, seguirão as definidas no acordo coletivo da categoria na data base de 01 de novembro. Os salários serão terão um reajuste de 9%, índice que garante um aumento real dos salários em aproximadamente 1,87%.

Trabalhadores da Rhodia ouvem esclarecimento sobre contraproposta às reivindicações (10/11/08 - Fotos: João Zinclar)

Trabalhadores da Rhodia ouvem esclarecimento sobre
contraproposta às reivindicações (10/11/08 – Fotos: João Zinclar)

Assédio moral durante a greve

A negociação entre a Rhodia e os trabalhadores se iniciou após tentativas da multinacional em desmobilizar a greve, inclusive com a prática de forte assédio moral.

Muitos trabalhadores foram obrigados a usar entradas alternativas na planta da indústria, por meio de caminhos precários ou trilhas em canaviais em fazendas vizinhas à São Francisco, na qual a Rhodia está instalada.

Houve casos em que a entrada se deu por meio de uma propriedade rural situada na vizinha Jaguariúna, há cerca de 20 quilômetros do portão principal da Rhodia.

Diversos desses transportes, conforme denúncias, foram feitas em caminhão baú fechado, após recrutamento via telefone diretamente na casa de cada trabalhador. A utilização de telefonemas para a casa do trabalhador teve também a conseqüência de levar a insegurança para a família e, assim, aumentar a pressão sobre ele para que desistisse da mobilização.

Outro expediente utilizado pela Rhodia foi o do interdito proibitório, pedido e concedido rapidamente junto ao Poder Judiciário, medida que dava à polícia poder de interferir na persuasão sobre colegas de trabalho para que aderissem ao movimento e limitava a ação sindical.

A empresa também tentou criminalizar o movimento dos trabalhadores e do sindicato com a abertura de um boletim de ocorrências na Polícia Civil.

Vitória

Com 24h de greve de advertência e com cinco dias de greve geral, os trabalhadores fizeram com que a multinacional Rhodia passasse de uma posição de nem mesmo querer receber uma pauta oficial para, pressionada, no final chegar a atender oito das dez reivindicações a ela apresentadas.

TESTE

Desenvolvido por Lógica Digital

© 2016 Químicos Unificados

Químicos Unificados

Veja todos

Fale conosco