News details

Read the full story here

Patrões oferecem 6%. Aumento real seria 1,8%

6% de reajuste salarial, piso na categoria de R$ 815,00 e valor mínimo da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de R$ 600,00 foi a contraproposta patronal feita hoje pela manhã (30/10/09) aos sindicalistas em reunião de negociação realizada em São Paulo.

Nas negociações, Norival Cunha, Arlei Medeiros e Nilza Pereira (de frente, primeiro plano, a partir da dir.), dirigentes do Unificados (Foto: Dino Santos - 30/10/09)

Nas
negociações, Norival Cunha, Arlei Medeiros e Nilza

Pereira (de frente,
primeiro plano, a partir da dir.),

dirigentes do Unificados (Foto: Dino
Santos – 30/10/09)

Ganhos reais

Por estes índices de reajustes, o aumento real nos salários seria em torno de 1,8%, a ser realmente definido após a apuração dos números finais da inflação dos últimos doze meses medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que tem estimativa de ser pouco além de 4%. Ela deverá ser divulgada oficialmente no dia 11 próximo.

Conforme apontamentos do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos, das 147 categorias profissionais que negociaram acordos coletivos em 2009 apenas sete delas conquistaram aumento real acima do índice de 1,5%.

A reivindicação da categoria é um reajuste salarial de 10%. A data base é 01 de novembro e o período de aquisição de 01 de novembro de 2008 a 31 de outubro de 2009.

Piso e PLR

Ainda conforme a proposta patronal, o piso salarial na categoria seria de R$ 815,00 e a PLR de R$ 600,00. Com estes valores, em relação aos vigentes, o piso teria um reajuste de 7,38% e a PLR de 9,10%.

Assembleia decidirá

Em assembleia que será realizada no dia 06 de novembro, com início às 18h30 nas regionais de Campinas, Osasco e Vinhedo do Sindicato Químicos Unificados, as trabalhadoras e trabalhadores irão avaliar a contraproposta patronal.

TESTE

Desenvolvido por Lógica Digital

© 2016 Químicos Unificados

Químicos Unificados

Veja todos

Fale conosco