News details

Read the full story here

Greve pára produção na Unilever Vinhedo por aumento real nos salários


Os trabalhadores e trabalhadoras do segundo turno da Unilever Brasil em Vinhedo pararam a produção na tarde de hoje (07 de dezembro), com o objetivo de pressionar a empresa a abrir negociações relativas à campanha salarial de 2006 da categoria o que, de forma intransigente e sistemática, a multinacional se recusa a fazer desde setembro último. A decisão pela greve foi tomada em assembléia na portaria da empresa por volta das 14 horas, em conjunto com o sindicato, e seu final está condicionado à abertura das negociações ou à concretização de uma proposta de reajuste em condições de ser ao menos avaliada pelos trabalhadores. Os trabalhadores e trabalhadoras da Sinimplast, empresa terceira que presta serviços às Unilever em Vinhedo, também entraram em greve pela campanha salarial e em solidariedade. São cerca de 650 trabalhadores em greve, 550 da Unilever e 130 da Sinimplast.

Na Unilever, além do reajuste salarial de 10% e o valor da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) em R$ 3.000,00 por trabalhador, a pauta de reivindicações aborda questões específicas como, por exemplo, a jornada de trabalho. Na Sinimplast o reajuste salarial reivindicado é de 10% e as principais questões específicas são o excesso de horas extras e a existência de desvios de funções.

A Unilever Brasil é a maior empresa mundial na produção de bens de consumo e seu faturamento representa 1% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Ela produz alimentos, produtos para cuidados pessoais e para limpeza em geral.

TESTE

Desenvolvido por Lógica Digital

© 2016 Químicos Unificados

Químicos Unificados

Veja todos

Fale conosco