News details

Read the full story here
nem-uma-a-menos

Campinas terá ato amanhã, no Dia Internacional da Mulher

O grande ato do Dia Internacional da Mulher em Campinas acontece dia 08 de Março, a partir das 16 horas, na Praça José Bonifácio (em frente a Catedral) – Centro. E no dia 11/03, domingo, a partir das 12h, o Cefol Campinas contará com uma programação especial para marcar a passagem do Dia Internacional das Mulheres com atrações culturais destacando a urgente luta de todas e todos para combater as diferentes formas de violências cometidas contra as mulheres.

O objetivo destes atos é ocupar as ruas e todos o espaços possíveis para defender a democracia e também denunciar a retirada de direitos, o avanço das politicas neoliberais que impõem o desemprego, a falta de recursos para as políticas públicas e especialmente denunciar o avanço do conservadorismo imposta às mulheres como forma de controle do seu direito ao trabalho, ao seu corpo e sua sexualidade.

foto-iolanda-toshie-ide-protesto-mulheres-campinas
Na semana do dia Internacional das Mulheres, no dia 03 de março, em Campinas,  mulheres ocuparam as ruas pelo direito a uma vida sem violência, por democracia e pelo  direito à aposentadoria.

Nenhuma a menos

A manifestação é convocada pelo coletivo Nenhuma a menos – Campinas. Veja a nota do coletivo sobre o evento:
No dia 05/01/17 saímos às ruas para pedir fim à violência contra as mulheres em nossa cidade. Chocadas com a chacina ocorrida no réveillon – na qual 12 pessoas foram mortas por Sidnei Ramis de Araújo, sendo 9 delas vítimas de feminicídio – nos unimos em um só grito: “nenhuma a menos, vivas nos queremos!”
Mas, de lá pra cá, nada mudou. O governo municipal deu pouca atenção ao caso, além das condolências de praxe. A polícia encerrou as investigações, concluindo que Sidnei agiu sozinho. A mídia continuou a falar deste e de outros casos sem se referir à questão do feminicídio. E as mulheres de Campinas, principalmente as negras e as mais pobres, continuam a morrer nas mãos de homens, apenas por serem mulheres.
Enquanto isso, em âmbito nacional, os ataques aos nossos direitos não param: querem acabar com nossa aposentadoria e com nossos direitos trabalhistas. A reforma previdenciária do governo Temer prejudicará principalmente as mulheres trabalhadoras, que além de trabalhar fora ainda cumprem outra jornada em casa. Querem que trabalhemos até a morte, em condições cada vez piores e ganhando cada vez menos.
Por isso, o Dia Internacional da Mulher não é um dia de ganhar flores. É um dia de luta! É dia de sairmos às ruas, nos unirmos, gritarmos até sermos ouvidas. É dia de ocupar os espaços públicos desta cidade que não nos ouve, que pouco faz para conter a violência contra nós!
Vamos nos unir às vozes das mulheres de todo o mundo, que não aturam mais a opressão machista em suas realidades, e estão organizando uma grande greve internacional!
#nenhumaamenos
#nenhumdireitoamenos

ORGANIZAM ESTE ATO:
– Promotoras Legais Populares (PLPs)
– Coletivo Lélia Gonzalez
– Coletivo Feminista Rosa Lilás
– Coletiva das Vadias
– Grupo de Mulheres Flores do DIC
– Coletivo Juntas
– Comissão da Mulher Advogada – OAB Campinas
– MAIS Mulheres
– Instituto Voz Ativa
– Casa sem Preconceito
– FECONEZU
– Centro Acadêmico de Psicologia da PUC
– Sindicato Químicos Unificados
– Intersindical
– Mulheres do PSOL
– PSTU
– Rede
– Mandato Vereadora Mariana Conti
– Coletivo Rosas de Março
– Grupo Identidade
– Mulheres independentes

 

Veja neste link mais informações sobre o ato em São Paulo e da origem do Dia Internacional das Mulheres:

​http://quimicosunificados.com.br/unificados/803-dia-internacional-das-mulheres/

POST COMMENT

TESTE

Desenvolvido por Lógica Digital

© 2016 Químicos Unificados