Blog

Get latest company news here
Valinhos-Macuco

Trabalhadores: Não assinem acordos individuais!

A Silgan Dispensing, que atua nos mercados de beleza, cosméticos e fragrâncias em Valinhos, quer impor jornada de trabalho 3×2 e 2×3, que é uma escala de 12 horas em que alterna 2 e 3 dias de trabalho por 12 horas e folga 2 ou 3 dias. Sindicato entende que não é saudável para o trabalhador e, por isso, não concorda em assinar esse tipo de jornada. O Sindicato apresentou proposta, que foi recusada pela empresa, da implantação de 5…

megafone

Vitória! Cipeiro é reintegrado

A empresa Hidroall do Brasil, localizada em Valinhos, demitiu ilegalmente membro da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) na sexta-feira, dia 11 de dezembro. Numa rápida ação do Sindicato Químicos Unificados, junto com o departamento jurídico, foi possível a reintegração do trabalhador à empresa por meio de decisão judicial. Segundo a decisão nesta quinta-feira (17/12) da juíza do trabalho Erika de Franceschi, a empresa tem o prazo de 48 horas a contar do recebimento da notificação para fazer a…

IMG_20190206_073427632_HDR

Alta demanda do agronegócio pressiona trabalhadores

O setor agropecuário deve encerrar o ano com receita de R$ 823 bilhões, um crescimento de 13,7% em relação ao ano passado – segundo dados da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Essa alta demanda do setor está levando as empresas de insumo do agronegócio em Paulínia a pressionarem os trabalhadores exigindo ritmo acelerado de produção. A Heringer, além de não respeitar o pagamento dos valores mínimos de PLR estabelecidos na Convenção Coletiva, agora quer mudar a jornada…

assembleia

Ramo químico: primeira proposta

Direitos sociais da Convenção Coletiva estão garantidos até 2021; agora é discutir a questão econômica e garantir a preservação do nosso poder de compra A campanha salarial 2020 do ramo químico começa a ser discutida entre os sindicatos dos trabalhadores e patronal. A Convenção Coletiva foi assinada por 2 anos, com validade até 2021, assim nossos direitos sociais estão garantidos, sem alterações. Para esse momento que vivemos, essa conquista é muito importante, pois muitas categorias estão perdendo direitos. Será negociado…

ASSEMBLEIA YARA GALVANI-2

YARA RETIRA DIREITO DOS TRABALHADORES APESAR DA EMPRESA ESTAR EM CRESCIMENTO

Fábrica de fertilizantes acaba com a PLR mínima a todos os trabalhadores da Yara Paulínia além de não realizar a antecipação do valor, como era o acordado Enquanto o mercado de fertilizantes está em franco crescimento, a Yara, em Paulínia, quer retirar os direitos dos trabalhadores. O Sindicato Químicos Unificados é contra a assinatura do acordo de PLR proposto pela empresa, que acaba com o pagamento de valor mínimo de PLR, fim da antecipação do valor e nem mesmo cumprir…

Heringer foto

Porque não vamos assinar a PLR na Heringer

Empresa não paga o valor mínimo acordado na Convenção Coletiva O Sindicato Químicos Unificados não assinará o acordo de PLR da Heringer, em Paulínia. A empresa de fertilizantes não paga o valor que o trabalhador merece e ainda não respeita a nossa Convenção Coletiva. Assim, ela não garante nem o mínimo estabelecido na nossa convenção que é de R$ 1.160,00. Desta forma, a empresa coloca os trabalhadores em risco ao produzir o máximo de toneladas de produto sem a devida…

ASSEMBLEIA PPG-1-37

Denúncia de assédio moral na fábrica da PPG em Sumaré

O Sindicato Químicos Unificados tem recebido diversas denúncias dos trabalhadores da PPG, indústria de tintas localizada em Sumaré. Apesar dos números demonstrarem que a empresa está com um grande fôlego financeiro, os trabalhadores, em especial os da produção, sofrem assédio moral e muita pressão no ambiente de trabalho neste período de pandemia. Os trabalhadores denunciam o forte assédio moral da coordenadora do laboratório de resina, onde fica o prédio novo da PPG. Segundo as denúncias, ela ameaça a todos, dizendo…

ASSEMBLEIA PPG (35)

Trabalhadores denunciam pressão e assédio moral na fábrica da PPG em Sumaré

Ameaças de demissão, trabalho aos sábados sem pagamento de hora extra e demissão de trabalhadores com estabilidade estão recorrentes na empresa, segundo denúncias O Sindicato Químicos Unificados tem recebido diversas denúncias dos trabalhadores da PPG, indústria de tintas localizada em Sumaré. Apesar dos números demonstrarem que a empresa está com um grande fôlego financeiro, os trabalhadores, em especial os da produção, sofrem assédios moral e muita pressão no ambiente de trabalho neste período de pandemia. Recentemente, a empresa anunciou que…

ASSEMBLEIA SHERING WILLIANS-1-18

SW de Sumaré persegue trabalhadores

A empresa, apesar de altos lucros, obriga os funcionários a assinarem acordos individuais de redução de jornada e salário, além de assédio moral dentro da fábrica segundo denúncia dos trabalhadores A fábrica de tintas Sherwin Williams, localizada em Sumaré, tem tomado diversas decisões que estão deixando os trabalhadores indignados. Em virtude da pandemia do covid-19 que estamos vivendo, a empresa optou por aderir à MP-936, que permite a suspensão ou redução da jornada e salário. A empresa não entrou em…

ASSEMBLÉIA RODHIA (26)

A hora agora é de pressão!

A Air Liquide, que fica dentro do complexo da Rhodia em Paulínia, pressiona os trabalhadores para implantar a jornada de turno fixo, com folga de dois dias e alternância a cada 4 meses de turno de trabalho. Isso implica em perdas de adicionais de turno, noturno e impacta na condição física e mental dos trabalhadores. Não podemos aceitar esse retrocesso! A quinta turma é fundamental para o bem estar e a qualidade de vida dos trabalhadores. “É importantíssimo manter a…

TESTE

Desenvolvido por Lógica Digital

© 2016 Químicos Unificados